domingo, 26 de dezembro de 2010

Fogo Preso
















Céu alto da integral levitação!
Céu largo da infinita liberdade!
Ali, pairam seguras
As loucuras
Que triunfam das leis da gravidade

Ali, cintilam vidas
Abrasadas de luz universal!...
Ali, voam as aves
E as naves
Que sobem do real ao irreal…

Cega e sem asas, roda a inspiração
À volta do seu térreo pelourinho…
Ah! Céu distante, olímpica ambição
De quem no próprio chão
Não tem caminho!



Miguel Torga
Fotografia: Maremfrente, 24.12.10

1 comentário:

Miryam disse...

Linda poesia!
Os melhores votos de um feliz Natal e já passou um Ano Novo maravilhoso.
Olá Olá